Como analisar dados de e-commerce

Especialistas elencam análise de dados como uma das grandes tendências para o e-commerce crescer em 2023.

Por: Gabriela Pederneira 18/01/2023

De acordo com dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, ABComm Forekast, 2022 deve bater mais um recorde de faturamento de e-commerce, atingindo R$ 169,59 bilhões. As pessoas estão consumindo mais produtos com maior valor agregado: o ticket médio das vendas on-line em 2022 deve fechar em R$ 460, de acordo com a pesquisa. 

Para 2023 a expectativa é de crescimento. A instituição prevê que os e-commerces faturem, em conjunto, R$ 185,7 bilhões e que o ticket médio suba para R$ 470. Para aproveitar o momento, quem vende on-line precisa, acima de tudo, estar de olho nas tendências e fazer a análise dos dados para ficar sempre um passo à frente do mercado.

Tendências para e-commerce em 2023

De acordo com a ESHOPPER, ferramenta comparativa de mercado, que analisa a jornada de compra on-line (desktop e mobile), são 7 as principais tendências para o comércio eletrônico no Brasil em 2023:

  • Omnichannel: Uma pesquisa feita pela All iN e Social Miner, em parceria com a Opinion Box, mostrou que mais da metade (60%) dos brasileiros compram de forma híbrida. A experiência estendida entre físico e on-line continua forte e merece uma atenção especial dos varejistas. Para isso, a coleta de dados é essencial. 
  • Big Data: Por isso, a segunda tendência diz respeito ao big data. A coleta de dados ajuda as empresas a melhorarem a experiência do cliente (on-line e física), além de aprimorar o entendimento do negócio por parte dos varejistas - mostrando quais os produtos que mais saem, qual o ticket médio, qual o perfil do consumidor e assim por diante.  
  • Inteligência artificial: O próximo passo, depois de aplicar o big data, é trabalhar com soluções de inteligência artificial para automatizar alguns processos dentro dos e-commerces. É possível, por exemplo, identificar spam, comentários falsos e recomendar  produtos para os usuários de acordo com seu interesse.  
  • Mobile commerce: Não é segredo para ninguém que as pessoas estão, cada vez mais, comprando via celular. Sendo assim, os sites e toda experiência do usuário devem ser pensados de forma responsiva.  
  • Marketplaces: Nem sempre os varejistas on-line precisam vender dentro de uma loja própria. Os marketplaces já têm a confiança do usuário e são uma boa maneira de disseminar o produto de forma on-line. 
  • Social commerce: Outra tendência para 2023 é a venda por meio dos canais sociais. Instagram e Facebook, por exemplo, já criaram estruturas para que o perfil da marca seja uma loja. Usar essas ferramentas é estar onde o consumidor está e pode ajudar a impulsionar as vendas. 
  • Personalização: Tanto dentro das redes sociais, quanto em sites próprios ou marketplaces o consumidor quer encontrar algo rápido e fácil. Por isso, estratégias de dados que ajudem na personalização da experiência de compra ajuda  em uma maior conversão e encantamento do cliente. 

Análise de dados no e-commerce

Seja para personalizar a experiência do usuário, dar continuidade em uma compra omnichannel, integrar loja on-line e rede social, ou ainda implementar inteligência artificial no seu negócio digital, analisar dados de comércio eletrônico é essencial para o sucesso de seu negócio. 


Continua depois da publicidade


Existem três grandes campos para análise de dados em uma loja digital: experiência do cliente, negócio e mercado.

Quando falamos em experiência do cliente os dados são de navegação e mostram qual o perfil de produto uma segmentação específica costuma comprar mais, quais produtos eles compram de forma conjunta, a origem desses consumidores (ads, blog, social…), quais os campos de interesse deles e assim por diante. 

Já olhando para os dados de negócio é preciso entender quantos por cento dos visitantes do site realmente fazem uma compra, qual o custo de aquisição do usuário, qual o retorno de investimento das campanhas, entre outras informações. 

Quando falamos em dados de mercado estamos nos referindo às informações de preços médios praticados, margem média, análise de concorrência, análise de produtos comercializados e todas as informações que ajudam o varejista a tomar decisões comerciais. E para aglutinar e analisar todos esses dados, e para as informações de negócio e mercado, existem diferentes ferramentas disponíveis; para as informações de experiência do usuário, o próprio Google Analytics pode ajudar. 

Para vender mais no e-commerce em 2023, portanto, a frase de ordem é: invista na análise de dados e parceiros que consigam otimizar os insights gerados por ela.

 

Imagem de capa: Depositphotos

*O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.

Gostou? Então compartilhe:

Gabriela Pederneira

Jornalista e Redatora Especial dos sites CIMM e Ind4.0